Pesquisar neste blog

Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 30 de março de 2011

ESTUDANTES DISCUTEM SUSTENTABILIDADE EM EVENTO

O 3º Seminário de Água e Sustentabilidade, que integra a programação da Semana das Águas, aconteceu na noite de ontem (23) no teatro da Unip (Universidade Paulista), reunindo aproximadamente 250 pessoas, entre autoridades locais, professores e alunos dos mais variados cursos de ensino superior. A palestrante da noite foi a bióloga Breila Pessoa Dias, mestre em Ensino de Ciências pela UNESP de Bauru, que aprofundou o tema da preservação da água e as medidas sustentáveis necessárias para que este bem não-renovável deixe de ser desperdiçado e poluído.

Autoridades durante abertura


Participaram também do encontro a secretária de Assistência Social, Cidinha Lacerda, que representou o prefeito Cido Sério, as vereadoras Durvalina Garcia (PT) e Tieza (PSDB), o chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Luis de Carvalho Sales, que representou o secretário Jorge Hector Rozas, o presidente do Departamento de Água e Esgoto de Araçatuba (DAEA), José Luis Fares, o tenente da Polícia Ambiente Flávio Augusto Bachiega Zambrosi, que representou o coronel Wellington Carlos Cunha, o professor Márcio Saito, Assistente de Direção da Unip Campus Araçatuba e a coordenador do curso de Ciências Biológicas da Unip, professora Mara Lúcia Azevedo.

 
Bióloga Breila Pessoa Dias

Na abertura do Seminário, alunas do SESI Araçatuba apresentaram um balé com a coreografia “Mão-Pé”, elaborada para o 1º Encontro de Dança do SESI, que abordou o tema Mistura Fina. Antes da palestra, a secretária Cidinha Lacerda falou aos presentes sobre a Declaração Universal dos Direitos da Água, publicada da Organização das Nações Unidas (ONU) em 1993. Ela ressaltou que a preservação da água deve ser uma preocupação diária, “para que ela não seja motivo de guerras num futuro próximo”. A secretária enfatizou que oportunidades como esta precisam de grande participação de estudantes e sociedade em geral. “Cada gota d’água faz diferença e precisamos mudar nossa rotina, agregando valores e hábitos de preservação. A participação de todos vocês aqui é fundamental para que cada vez mais pessoas se sensibilizem com esta realidade”, enfatizou. “Estamos aqui para melhorar”, finalizou a secretária.



A bióloga Breila Pessoa Dias destacou durante sua fala a “Carta 2070”, em que um homem de 50 anos descreve a situação do planeta neste futuro, quase apocalíptico, em crítica situação devido à falta de água. A bióloga enfatizou o papel de cada um na preservação.


DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DA ÁGUA



Art. 1º - A água faz parte do patrimônio do planeta.Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável aos olhos de todos.



Art. 2º - A água é a seiva do nosso planeta.Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. O direito à água é um dos direitos fundamentais do ser humano: o direito à vida, tal qual é estipulado do Art. 3 º da Declaração dos Direitos do Homem.



Art. 3º - Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia.



Art. 4º - O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende, em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.



Art. 5º - A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como uma obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.



Art. 6º - A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.



Art. 7º - A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.



Art. 8º - A utilização da água implica no respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.



Art. 9º - A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.



Art. 10º - O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.



----------------------------------------------------

Fernando Verga – Diretor de Imprensa

Secretaria de Comunicação Social – SMCS

Prefeitura Municipal de Araçatuba – PMA

(18) 3607-6611

www.aracatuba.sp.gov.br

---------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário